Imprimir esta página
Castelo de Alcanede

Desde o começo do Séc. XII, os castelos portugueses foram construídos cuidadosamente de forma a assegurar a segurança e integrabilidade de territórios conquistados. Apesar de ser desconhecida a data de construção do castelo de Alcanede, sabe-se que a fortaleza alcanedense possuía essas mesmas funções, de apoio às populações recém-instaladas e à defesa dos territórios adjacentes.
Esta fortaleza teve grande importância na defesa dos territórios nacionais no decurso do séc. XIV, substituindo-se esta função pela obrigação de proteger terras scalabitanas e numa segunda linha a cidade de Lisboa.

Um dos marcos importantes para o nosso castelo foi a sua doação realizada pelo rei D. Sancho I ao Mestre da Ordem de Avis, Gonçalo Viegas, por volta do ano de 1201.

Sabem-se de diversas obras realizadas no castelo de Alcanede nomeadamente nos anos 1370, a pedido do Concelho de Alcanede ao rei D. Fernando, conhecendo-se ainda obras de manutenção nos finais do séc. XV. Porém em 1538 face à evolução política e económico o castelo de Alcanede perdera a sua utilidade, não havendo preocupação pela sua reconstrução, sendo assim deixado à sua sorte.
Deste modo, apenas entre 1941 e 1954 se iniciou de novo a reconstrução do castelo integrado no plano de restauro dos monumentos nacionais, empreendido pelo Estado Novo, obra que lhe conferiu o aspecto que conhecemos hoje.

Atualmente o castelo é composto por duas torres, separadas por um pátio central, rodeado de adarves, assente sobre uma cisterna abobadada. A entrada é feita por uma porta em arco de volta perfeita encimada por uma cartela heráldica. No seu interior, existe ainda uma torre de menagem, uma torre de albarrã e tem adossados três cubelos. O castelo é envolvido por uma barbacã, actualmente representada por um muro simples. (imagens abaixo apresentadas)

Em 2008 a CMS decidiu aceder ao diversos pedidos realizados pela Junta de Freguesia de Alcanede efinanciou a colocação de diverso imobiliário urbano e de jardim no castelo de Alcanede, nomeadamente umas escadas de acesso ao castelo, caixotes do lixo, bancos de madeira e uma mesa de piquenique.

Em 2013 a DGCP realizou uma intervenção num dos locais do muro da barbacã do castelo, prevenindo a infiltração da água e consequente desmoronamento. No decorrer dessas obras, decorreram ainda alguns estudos arqueológicos, onde foram encontrados alguns artefactos referentes a épocas medievais.

Os acessos ao castelo de Alcanede podem ser feitos, tanto pedonalmente como por via automóvel.

Curiosidade:
Durante a Idade Média o Castelo servia de prisão, segundo consta numa carta de perdão de D. Afonso V de 1446.

Our website is protected by DMC Firewall!